CBF define tabela e regulamento do Brasileirão

68

Clubes da série A debateram sobre uso de grama sintética, venda do mando de campo e utilização do árbitro de vídeo

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu pontos importantes para a realização do Campeonato Brasileiro desta temporada. Com representantes dos 20 clubes da primeira divisão, foi aprovada a utilização da grama sintética, que chegou a ser proibida no ano passado, a venda do mando de campo com restrições e o veto ao uso do árbitro de vídeo.

Entre os clubes da elite, o piso artificial é usado somente na Arena da Baixada, estádio do Atlético Paranaense. Se no ano passado isso causou polêmica em alguns jogos, nesta temporada os clubes permitiram a utilização da grama sintética. Em 2017, 15 clubes foram a favor do veto a esse tipo de gramado sob a alegação de que o Furacão levaria vantagem. O clube paranaense alegou que o clima frio de Curitiba, aliado ao formato do estádio e o tipo do solo, não eram ideais para uma grama natural.

Outro ponto definido no conselho arbitral foi a possibilidade da venda do mando de campo, ou seja, quando os times decidem jogar em outro estado, que não o de origem. Os clubes decidiram que as equipes têm direito de vender no máximo cinco mandos de campo durante todo o campeonato, desde que isso não aconteça nas últimas cinco rodadas do campeonato.

A utilização do árbitro de vídeo também foi vetada devido ao alto custo, algo em torno de R$ 50 mil por partida. No entanto, a partir das quartas de final da Copa do Brasil, o recurso será utilizado e custeado pela CBF.

As datas para o início do campeonato também foram definidas: no fim de semana de 14 e 15 de abril. Os jogos de abertura do campeonato serão Cruzeiro e Grêmio, Atlético Paranaense contra Chapecoense, América Mineiro e Sport, Vitória e Flamengo, Vasco e Atlético Mineiro e Botafogo contra Palmeiras. O São Paulo recebe o Paraná, Santos enfrenta o Ceará, Corinthians joga diante do Fluminense e o Internacional encara o Bahia.

Reportagem, Raphael Costa