FJA apresenta projeto para caixa cênica do Teatro Alberto Maranhão

68
Teatro deverá ter equipamentos modernos que privilegiarão os espetáculos.

Um coletivo formado por artistas, engenheiros e arquitetos debateu na tarde de terça–feira (9) no auditório da Secretaria Estadual de Planejamento o projeto de restauração do Teatro Alberto Maranhão com a instalação da caixa cênica para o prédio histórico.

O encontro foi promovido pela Fundação José Augusto e contou com a presença do superintendência local do IPHAN e da Procuradoria Geral do Estado.

A reunião foi conduzida pela arquiteta Fernanda Braga e por Leonardo Pavanello, da ATP engenharia, que apresentaram o projeto complementar que deverá manter o teatro centenário dentro das linhas arquitetônicas originais.

Dentro da projeto foram discutidas a implantação da acessibilidade com elevadores,  plataforma, instalação da rede hidráulica e elétricas, saídas de segurança nos três pavimentos do prédio.

Também foram debatidas com o setor de Obras da FJA as soluções para a drenagem que diminuam os riscos de inundações causadas pelas chuvas que caem na Ribeira e que causaram prejuízos no passado dentro do prédio histórico.

Pela primeira vez na história, o TAM deverá receber uma caixa cênica contendo ferramentas modernas que irão privilegiar e melhorar a iluminação, acústica e automação em benefício dos espetáculos apresentados. “Nosso estudo  vem sendo detalhado para compor elementos e posicionamento de luzes que possam  dar maior visibilidade às peças apresentadas em benefício dos espectadores presentes”, informou Leonardo Pavanello.

O projeto apresentado na reunião deve ainda ser submetido a aprovação do IPHAN, da Semurb, Corpo de Bombeiros e STTU, antes da abertura do edital de licitação para a realização da restauração.

O valor da obra está estimado em R$ 8 milhões (agora atualizado com a inclusão da caixa cênica)  com recursos do Governo Cidadão/Banco Mundial.