Gilmar Mendes solta suposto operador financeiro do MDB

22
Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil /

Nesta terça-feira (15), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu soltar o suposto operador do MDB no Senado, Milton Lyra. Ele estava preso desde o dia 12 de abril, por decisão do juiz federal Marcelo Bretas.

Lyra teve sua prisão determinada no âmbito da Operação Rizoma, que investiga fraudes no fundo de pensão dos funcionários dos Correios, o Postalis. O operador é suspeito de ter desviado recursos do fundo.

Em sua decisão, Gilmar Mendes determinou que Milton Lyra não poderá manter contato com outros investigados na mesma operação, deverá entregar seu passaporte e ainda ficará impedido de deixar o país.

Para o ministro do STF, os supostos crimes de Lyra “são graves, não apenas em abstrato, mas em concreto, tendo em vista as circunstâncias de sua execução. Muito embora graves, esses fatos são consideravelmente distantes no tempo da decretação da prisão. Teriam acontecido entre 2011 e 2016”, o que não seria razão para a prisão.