IBGE: Urgência de concurso aumenta com 1,9 mil aposentados

33

Com 1,9 mil servidores aptos a se aposentar e déficit de pessoal, o concurso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é urgente. O órgão está negociando a autorização da seleção com o governo, enfrentando o fato de que 38% do quadro pode sair a qualquer momento. Até agosto, 200 pessoas entraram com o pedido de aposentadoria, atitude acentuada com a Reforma da Previdência.

“Mesmo com a entrada dos 600 aprovados e 300 excedentes, o número de aposentadorias foi tão grande que o déficit de pessoal permaneceu”, revelou Paulo Lindsay, presidente da Associação e Sindicato dos Servidores do IBGE (ASSIBGE). Ele ainda alertou que a situação deve piorar caso não haja novas seleções. “Além dos 1.900 em abono de permanência, muitos servidores já têm 26 anos de instituto, e estão próximos de terem direito a se aposentarem.”

A ASSIBGE ainda apontou que a carência está presente em todas as carreiras do órgão, sendo a posição de técnico, de nível médio, a com maior demanda de pessoal. Há ainda necessidade para as vagas de analista, tecnologista e pesquisador, de nível superior.

A situação do IBGE foi confirmada pelo coordenador de Recursos Humanos do órgão, Bruno Malheiros.”Tivemos uma queda (de servidores) muito grande de 2010 para cá. Éramos mais de 7.800 e agora somos 5.500. Os concursos de 2013 e 2015 deram fôlego ao IBGE. Em 2017 saíram quase 200 pessoas, ritmo que vai continuar até o fim do ano. Certamente precisaremos de mais gente até lá”, disse em abril.

Na ocasião, ele teria informado a intenção do IBGE de entrar com pedido de concurso até o fim do ano. “Certamente, até o final do ano teremos o novo pedido no Ministério do Planejamento, contemplando cargos de níveis médio e superior”, acrescentando que a seleção seria de nível nacional. Contudo, o órgão ainda não tem uma previsão de quando irá entrar com a solicitação.

Se de fato entrar com o pedido de concurso, o IBGE dele solicitar vagas para os cargos de técnico, analista, pesquisador e tecnologista, sendo o primeiro de nível mé