São Paulo vence Atlético-PR e quebra tabu de 36 anos

29
© Rubens Chiri / saopaulofc.net

Na abertura da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo aproveitou o péssimo momento do Atlético-PR na competição, venceu por 1 a 0, neste sábado (9) na Arena da Baixada, e quebrou um tabu de 36 anos sem vencer o adversário em Curitiba.

O último triunfo dos são-paulinos contra o rubro-negro havia sido em 1982, quando a equipe paulista derrotou o mandante por 3 a 1, em uma partida que foi realizada no estádio Couto Pereira, estádio do Coritiba

O São Paulo conseguiu vencer pela primeira vez na Arena da Baixada. Desde 1999, quando o estádio foi inaugurado, o mandante ostentou um tabu de 13 vitórias e tem cinco empates.

Com o gol do atacante Nenê em cobrança de pênalti aos 16 minutos do segundo tempo, o time do Morumbi chega a 20 pontos.

Na sexta derrota em 11 partidas, o Atlético-PR, nove pontos, permanece na zona de rebaixamento. Os torcedores vaiaram a equipe e pediram a demissão do técnico Fernando Diniz.

O jogo

Mais uma vez com rodízio na escalação promovido pelo técnico Diego Aguirre, o São Paulo teve dificuldades em impor a estratégia de chamar o adversário para o seu campo de defesa, usar a forte marcação e apostar na velocidade de contragolpe.

Pressionado pela sua torcida, os donos da casa até tiveram o controle das ações no primeiro tempo, mas pouco ofereceram de perigo para o conjunto paulista. Só tiveram uma chance de perigo, quando o atacante Pablo, aos 15 minutos da etapa inicial obrigou o goleiro Sidão a fazer uma defesa no ângulo esquerdo de sua meta.

Exagerando nas faltas e nos passes errados, as duas equipe pouco fizeram para incomodar os dois goleiros. O atleticano Santos foi um mero espectador ao longo do primeiro tempo. O baixo nível técnico irritou os torcedores do Atlético-PR, que vaiaram bastante o técnico Fernando Diniz.

Na saída para o intervalo, o volante Jucilei disse que o São Paulo teria que aproveitar o momento instável dos donos da casa para tentar abrir o marcador. O discurso virou realidade e o time visitante voltou com muito perigo para a etapa final.

Toques rápidos na saída de bola e com o rival exposto, os tricolores quase abriram o placar no cabeceio do meia-atacante Diego Souza, aos 5 minutos. Depois, o atacante Nenê assustou aos 8 minutos em uma bola que bateu na rede pelo lado de fora e Jucilei quase anotou em um chute de fora da área, aos 11 minutos.

No abafa da marcação na saída de bola, Bruno Guimarães perdeu a bola na entrada da área de Nenê, que passou para Everton. O atacante foi derrubado por Camacho dentro da área. O juiz Anderson Daronco anotou pênalti.

Nenê bateu mal aos 16 minutos, mas a bola passou por baixo do corpo do goleiro Santos e os são-paulinos partiram para a festa.

Os visitantes não precisaram se esforçar para segurar a partida. Intranquilos e sendo chamados de “time sem vergonha”, os atleticanos pouco fizeram para salvar a derrota. Na chance derradeira, no cabeceio de Thiago Heleno, aos 39 minutos, Sidão salvou com o peito

ATLÉTICO-PR

Santos; Wanderson (Guilherme), Thiago Heleno, Bruno Guimarães; Marcinho, Camacho, Lucho González (Pavez) e Carleto; Raphael Veiga, Bergson e Pablo (Bill).

T.: Fernando Diniz.

SÃO PAULO

Sidão; Militão, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Araruna (Petros); Nenê (Lucas Fernandes), Diego Souza (Tréllez) e Everton.

T.: Diego AguirreÁrbitro: Anderson Daronco (RS)

Auxiliares: Elio Nepomuceno de Andrade Junior e Jorge Eduardo Bernardi, ambos do Rio Grande do SulPúblico/Renda: 9.323 presentes/R$ 228.490,00

Cartões amarelos: Bersgson, Camacho e Raphael Veiga (Atlético-PR); Jucilei e Nenê (São Paulo)

Gol: Nenê (SAO), aos 16 minutos do segundo tempo.

Com informações da Folhapress.