Sul-africana, boina-azul da ONU na RD Congo, ganha prêmio sobre gênero

112
Major Pearl Block. Foto: Reprodução vídeo

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.*

Uma boina-azul que serve na Missão da ONU na República Democrática do Congo, Monusco, criou uma campanha para combater abuso e violência sexuais no país.

Pela ideia, Seitebatso Pearl Block, major da África do Sul, está sendo agraciada com o Prêmio “Defensora Militar do Ano sobre Gênero, das Nações Unidas”. A premiação ocorre em Vancouver, no Canadá.

Apoio

Pearl Block falou à ONU News sobre a iniciativa e como, a partir de agora, as mulheres podem denunciar a violência sem medo.

A major sul-africana afirmou que as mulheres terão a chance de enviar as mensagens por celular sobre os abusos dos quais são vítimas. E ali mesmo no celular, elas terão o apoio e conselho necessários para procurar ajuda.

A iniciativa ocorre em parceria com empresas de telefonia móvel, e deve começar antes do fim deste ano na RD Congo.

Inspiração

Pearl Block contou que teve a ideia ao servir como encarregada de operações de informação e entrar em contato com o drama das mulheres que sofrem com a violência sexual relacionada a conflitos.

O objetivo é atender comunidades que estão em áreas de difícil acesso.

O subsecretário-geral para Operações de Paz nas Nações Unidas, Jean-Pierre Lacroix, que também está em Vancouver, afirmou que a major é uma fonte de inspiração para o importante trabalho de combater a violência a mulheres.

A Conferência em Vancouver reúne representantes de mais de 80 países incluindo ministros da Defesa e outras autoridades.

Num discurso na quarta-feira durante o evento, Lacroix lembrou que as operações de paz da ONU são um dos instrumentos mais eficientes à comunidade internacional para responder aos desafios da segurança e paz globais.

E voltou a dizer que as mulheres nas missões de paz são fundamentais para a estratégia de proteger civis e de envolver as comunidades no processo de pacificação.

*Com reportagem do Unic Pretória.