Prática comum em tramas de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, as referências a outras novelas seguem firme em “A Lei do Amor”. Após Luciane (Grazi Massafera) citar “Verdades Secretas”, teremos menções a “Saramandaia” e a criação de uma grife de roupas inspirada em personagens icônicas da teledramaturgia brasileira.

Sucesso de Dias Gomes em 1976 – chegou a ganhar nova versão em 2013 –, “Saramandaia” será rememorada através da mais popular de suas personagens: Dona Redonda (Wilza Carla e Vera Holtz). O senador Venturini (Otávio Augusto) tentará matar sua esposa, Dona Pupu (Sylbeth Soriano), fechando uma churrascaria para que ela coma até explodir, literalmente.

Pupu chega a engasgar com um osso, mas não morre. Xanaia (Bella Piero), que assiste a cena e se recorda de Dona Redonda, aciona Antônio (Pierre Baitelli), frustrando os planos do político corrupto.

Já a grife de roupas inspirada em figurinos de novela surgirá de uma ideia de Luciane, interessada em levantar as vendas da tecelagem da família Leitão. Sem medo de trabalho, a ex-prostituta coloca toda sua produção dentro de um carro e sai anunciando as peças pelas ruas de São Dimas. Ela volta para casa com tudo vendido!

“A Lei do Amor” já apresentou outras citações a folhetins. A pensão de Zuza (Ana Rosa) foi nomeada “Pensão Palácio”, inspirada no estabelecimento de “Selva de Pedra”. Outra referência ao folhetim de Janete Clair pode ser vista no desaparecimento de Isabela (Alice Wegmann), que retorna usando a identidade da irmã, Marina – tal qual Simone (Regina Duarte), sob a alcunha de Rosana Reis. Já Helô (Cláudia Abreu) relatou ter recebido este nome por conta do papel de Dina Sfat em “Assim na Terra Como no Céu”, trama de Dias Gomes levada ao ar em 1970.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui