O presidente Jair Bolsonaro revogou, nesta quarta-feira (29), a nomeação de Alexandre Ramagem Rodrigues para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. A decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União após o Supremo Tribunal Federal (STF) anunciar, nesta quarta, a anulação da nomeação. 

A suspensão por parte do ministro Alexandre de Moraes, do STF, atendeu ao pedido do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que entrou com mandado de segurança alegando desvio de finalidade. Alexandre Ramagem teria amizade com a família do presidente. O cargo está vago desde sexta-feira (24) quando Maurício Valeixo foi exonerado.

“O presidente da República, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,caput, inciso XXV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 2º-C da Lei nº 9.266, de 15 de março de 1996, resolve tornar sem efeito o Decreto de 27 de abril de 2020, publicado no Diário Oficial da União do dia 28 de abril de 2020, Seção 2, página 1, referente à nomeação de Alexandre Ramagem Rodrigues, para exercer o cargo de Diretor-Geral da Polícia Federal do Ministério da Justiça e Segurança Pública e à exoneração do cargo de Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência”, diz a publicação.

Com isso, Alexandre Ramagem Rodrigues deve retornar ao cargo de diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e outro nome deve ser escolhido para a diretoria-geral da Polícia Federal. 

*Estagiária sob supervisão da jornalista Amanda Carvalho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui