Murilo Ferreira iria assumir o cargo de diretor de avaliação da educação básica do Inep

O governo federal decidiu, nesta quinta-feira (17), suspender a nomeação de Murilo Resende Ferreira. O economista iria assumir a coordenação do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. A nomeação foi feita na noite da última quarta-feira (16) através de uma portaria assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. Na noite desta quinta, também em edição extra do Diário Oficial, Lorenzoni assinou outra portaria em que declarava a nomeação de Ferreira “sem efeito”. O ministro não informou o motivo de sua decisão.

O economista iria assumir o cargo de diretor de avaliação da educação básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep. Doutor em economia pela FGV, Ferreira foi aluno do curso online de filosofia de Olavo de Carvalho, uma das pessoas influentes no governo Bolsonaro.

No entanto, a indicação de Ferreira gerou polêmica. O coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, afirmou que a nomeação demonstrava compromisso com uma visão de que o Enem seria um instrumento de “doutrinação”.

Defensor das ideias do programa Escola Sem Partido e crítico do que classifica como “ideologia de gênero”, Ferreira chegou a chamar os professores brasileiros de “manipuladores” que não querem “estudar de verdade” durante uma audiência pública no Ministério Público Federal de Goiás, em 2016.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui