A direção do Esporte Interativo decidiu se pronunciar sobre a desistência de negociar os direitos de transmissão da Primeira Liga em 2017. Em sua página oficial no Facebook, o canal criticou a falta de realização de uma licitação para a mídia do torneio.

Segundo o “UOL Esportes”, os clubes que participam da competição abandonaram a ideia inicial de promover uma negociação com emissoras das TV’s aberta e fechada. O motivo teria sido justificado por conta dos contratos individuais que os times possuem com a Globo.

A emissora carioca fechou acordo de R$ 69 milhões para ter os direitos da Primeira Liga no próximo ano. No contrato, a empresa da família de Roberto Marinho estabeleceu quatro castas de receita. A primeira envolve o Flamengo, enquanto que a segunda engloba Fluminense, Atlético-MG, Cruzeiro, Grêmio e Internacional. Na terceira estão Atlético-PR e Coritiba e na quarta, os demais clubes participantes da liga.

“O Esporte Interativo vem a público esclarecer que sempre demonstrou interesse em adquirir os direitos da Primeira Liga, com a condição de que houvesse um processo justo de licitação e aberto a todos os grupos de mídia. Temos a convicção de que um processo que incentive a competição só tem a beneficiar o futebol brasileiro e, diretamente, os clubes envolvidos na mesma”, diz a nota publicada pelo EI.

Fundada em 2015, a Primeira Liga tem o objetivo de organizar uma competição paralela aos estaduais. O modelo, no entanto, ainda não engrenou. O Atlético-PR e Coritiba, inclusive, não concordaram com cláusulas e já ameaçaram abandonar a disputa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui