A atuação convincente, os aplausos da torcida e o resultado de 2 a 0 sobre o Japão ficaram para trás na seleção olímpica assim que o árbitro encerrou a partida e os atletas chegaram ao vestiário do estádio Serra Dourada, em Goiânia, no último sábado.

Ficou claro a partir dali que a permanência do goleiro era praticamente impossível.

A lesão, que havia sido inicialmente superada, foi agravada durante o aquecimento para o amistoso.

Com o veterano de 38 anos abalado e vendo frustrado, inclusive, os planos de sua família, que havia alugado casa em Brasília para acompanhar os dois primeiros compromissos do Brasil, restou a Neymar tomar a palavra.

Em discurso emocionado, ele propôs um pacto por Prass pela conquista da medalha de ouro.

Mais do que isso, o craque do Barcelona, que seguirá com a braçadeira de capitão na Olimpíada, relembrou o seu corte durante a Copa do Mundo de 2014 e emocionou os demais com palavras fortes de incentivo com objetivo, sobretudo, de não deixar que esmorecessem com a situação.

Ele citou até mesmo a sua volta para casa após a pancada nas costas em lance com o colombiano Zuñiga.

Com fortes dores e com dificuldade, segundos relatos, para escovar os dentes e outras atividades normais do dia a dia, Prass passou abatido pela zona mista, sem falar com a imprensa, e teve posteriormente de deixar a concentração para fazer exames.

Foram mais de três horas dentro de uma clínica na Zona Sul de Goiânia.

Sem o movimento natural de seu braço direito, ele não conseguia posicioná-lo dentro da máquina de ressonância magnética, teve de requisitar a vinda de outro especialista e, ao fim, se sentou por cerca de meia hora para discutir o resultado.

Conforme esperado, foi constatada a fratura no cotovelo direito.

O camisa 1 palmeirense havia ficado sem treinar entre terça e quinta-feira da última semana.

Ao desembarcar em Goiânia vindo de Teresópolis-RJ, ele foi, então, a campo na manhã de sexta, no centro de treinamento do Vila Nova-GO, e acompanhou os companheiros na atividade pela tarde.

Poupado, ainda assim subiu ao gramado para fazer o aquecimento para o amistoso ao lado do substituto Uilson, do Atlético-MG, e Daniel Fuzato, do Palmeiras.

Com a sua saída, a CBF aguarda resposta da Fifa para convocar outro jogador experiente e preencher a vaga que agora se encontra aberta entre os atletas acima de 23 anos. Ela tem como alternativas em sua lista de 35 nomes Alisson, da Roma, Jordi, do Vasco, e Jean, do Bahia.

A delegação deixa Goiânia e chega a Brasília na noite deste domingo.

A estreia na Rio-2016 acontece contra a África do Sul, no dia 4 de agosto, no estádio Mané Garrincha. Fonte: ESPN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui