O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) voltou a defender, nesta quinta-feira (15), as propostas de reformas administrativa e tributária que tramitam no Congresso. Ele reafirmou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2019, a PEC dos gatilhos do teto de gastos, é a mais importante e que precisa ser votada antes do projeto do orçamento para o primeiro semestre de 2021.

Maia falou desses e de outros temas durante uma live promovida pelo Banco BMG sobre o papel do legislativo na recuperação econômica do país. O parlamentar alertou para o risco de convocação de deputados e senadores para trabalharem em janeiro, caso a proposta de emenda à constituição só seja votada após o segundo turno das eleições municipais.

Maia também voltou a falar nas eleições para a Presidência da Câmara. Segundo ele, é preciso deixar o tema para a última semana de funcionamento do Congresso e reafirmou também que não será candidato, mesmo que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), consiga na Justiça o direito de uma reeleição na mesma legislatura.

O deputado também afirmou que a Câmara terá condições de votar a reforma tributária ainda este semestre. Sobre a administrativa, ele disse que a matéria deve ficar para o próximo ano. Maia disse que não concorda que as mudanças atinjam os atuais servidores. O presidente da Casa comentou que como não estará a frente do Parlamento não sabe o que poderá acontecer com relação a reforma administrativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui