O projeto que exalta o choro genuinamente potiguar fará sua última apresentação neste sábado, 13 de maio. A 3ª Roda de Choro Potiguar terá como convidados a cantora Camila Masiso e o grupo Macaxeira Jazz, que se unirão à banda base formada por seis músicos igualmente potiguares. A apresentação  gratuita começa às 16h, no Bar do Zé Reeira, Cidade Alta.

Com o Roda de Choro Potiguar, o público entra em contato com um repertório composto em sua maioria por choros de compositores potiguares, como João Juvanklin, K-Ximbinho, Chico Elion e Tico da Costa. Desse modo, o projeto fortalece a cena do choro em Natal, porque apresenta grandes artistas locais num espaço tradicional e popular da cidade, e divulga a produção autoral local desse gênero centenário à plateia.

No palco, o sexteto, composto por Alexandre Moreira (bandolim), Deo do Pandeiro, Diogo Guanabara (bandolim), Fernando Botelho (violão de sete cordas), Henrique Pacheco (baixo) e Raphael Bender (bateria) se une a dois nomes da música potiguar a cada edição. Os convidados da 1ª edição, realizada em março, foram o cantor e compositor Carlos Zens e a cantora Laryssa Costa. Já a 2ª edição contou com a Família Pádua e com o Duetto Cabroso.

O Roda de Choro Potiguar foi viabilizado com recursos do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC 2015) da Secretaria Municipal de Cultura, a Funcarte.
Sobre Camila Masiso

A potiguar começou carreira solo em 2010 com “Boas Novas”, seu primeiro trabalho autoral. Foi finalista do festival MPBeco, recebeu prêmio Hangar de “Intérprete Revelação” em 2010, ganhou prêmio O Poti, na categoria “Artista Popular”, após ser a mais votada na internet; participou de duas edições do projeto Parcerias Sinfônicas, do Sesc RN – a primeira edição, na qual foi solista, também levou prêmio Hangar de “Melhor Show do Ano” (2011) – e se apresentou em países como França, Itália, Eslovênia e Estados Unidos. Seu último CD foi Patuá, lançado em 2014 no Teatro Riachuelo sob aplausos de crítica e público.

Sobre o Macaxeira Jazz

O grupo instrumental potiguar mostra que a música brasileira combina muito bem com outros ritmos. O quarteto se apresenta junto desde 2006 e já contabilizam quatro turnês internacionais.

Unem ritmos estrangeiros clássicos – como jazz, blues e rock – com choro, samba e baião. Diogo Guanabara (bandolim), Henrique Pachêco (baixo), Raphael Bender (bateria) e Ticiano D’Amore (guitarra) têm um extenso trabalho autoral, além de criatividade e ousadia para fazer releituras de grandes clássicos da música. Já lançaram o DVD Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz (2008), o CD autoral Capanga Moderna (2019), um álbum com releituras de músicas dos Beatles (2010) e outro homenageando o choro produzido no Rio Grande do Norte (2013), no qual executam músicas de João Juvanklin, Tico da Costa, Chico Elion e K-Ximbinho. O grupo se prepara para a gravação do segundo trabalho com músicas próprias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui