A medida provisória que prorroga o auxílio emergencial já recebeu mais de 260 sugestões de mudanças à proposta original do governo. A maioria das emendas é pela manutenção do valor de R$ 600.

Diante da persistência da pandemia, o governo federal decidiu liberar quatro parcelas de R$ 300 e estabeleceu que o programa se encerrará em dezembro independentemente do pagamento de todas as cotas. Além disso, excluiu diversos beneficiários, a exemplo de quem conseguiu emprego ou recebe benefício previdenciário ou assistencial.

O líder do PT, Rogério Carvalho (SE), citou que a gravidade da situação não permite a redução do valor do benefício. Já o vice-líder do governo, Chico Rodrigues (DEM-RR), argumentou que não há dinheiro para a parcela maior. A MP 1000/2020 ainda será votada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado.

As informações são da repórter Hérica Christian – Agência Senado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui