Dentro do ciclo junino, o dia 24 de junho é o mais importante, onde as famílias e os amigos se reúnem para celebrar o nascimento de São João.

Além da música e comida, é diante da luz e do calor do fogo que algumas pessoas seguem uma tradição antiga no Nordeste: firmam compromissos e tornam-se compadres. É o dia de fortalecer a amizade tendo a fogueira como parte do ritual sagrado. O dia 23 é a véspera e a fogueira também se faz presente e faz a alegria da criançada

No mês de junho a religiosidade popular, herdada pelo europeu colonizador, vai além dos muros das igrejas e atinge a comunidade, atestando a popularidade dos santos entre os brasileiros. As homenagens a São João incluem dança (forró) e muita comida típica, sobretudo as que tem como base o milho verde (com abundante safra nesta época do ano).

A imagem de São João Batista é geralmente apresentada como um menino com um carneiro no colo. Entre os símbolos mais conhecidos, os que remetem ao nascimento de São João são a fogueira, o mastro e os fogos.

Apesar das fogueiras iluminando a noite, reza a lenda que São João prefere dormir, caso contrário, poderia não resistir à tentação e descer à terra. Por isso, temos que soltar muitos fogos. O objetivo é acordá-lo.

O levantamento do mastro de São João é um ritual que inclui padre, orações e bênçãos. Neste caso, o mastro tem no topo, além da imagem de São João, as bandeiras de Santo Antônio e São Pedro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui