A base do governo Michel Temer avalia como inviável a possibilidade de a reforma da Previdência ser votada a partir da segunda semana de dezembro, na proximidade do Natal. Argumentam que seria um presente e tanto para a posição.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o presidente começará a receber na próxima semana, por parte dos líderes dos partidos aliados, os números de votos de parlamentares favoráveis ao projeto. A expectativa seria realizar a votação na semana de 6 de dezembro.

Sondagens iniciais mostram que o governo teria entre 250 270 votos, quantidade insuficiente diante dos 308 necessários para a aprovação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui