Campeã do ‘The Voice Kids’ lança 1º disco e diz que guardou prêmio de R$ 250 mil

0
117

Dois meses se passaram desde que Eduarda Brasil conquistou a terceira edição do “The Voice Brasil Kids”. A cantora paraibana de 16 anos lança agora seu primeiro EP, um disco homônimo com quatro músicas no ritmo do forró, o mesmo que a consagrou na versão infantil da competição musical na Globo.

Pupila de Simone & Simaria no reality, a menina confessa ter se inspirado nas técnicas para a sua primeira música de trabalho, “Amiga Que Presta”, um forró modernizado cantado em parceria com Márcia Fellipe que segue a mesma pegada de “Loka”, sucesso das coleguinhas com Anitta.

O primeiro disco foi gravado em apenas um dia, já que Eduarda ainda está terminando o Ensino Médio em Cajazeiras (PB), cidade que fica a quase 500 km da capital João Pessoa.

“Foi gravado no Rio no começo de maio, fiz tudo em um dia. Foi super rápido. Agora tem planos para o disco completo. Tudo indica que será na pegada ao vivo, vou entrar com banda e tudo mais”, conta a jovem cantora ao UOL, por telefone, sobre os planos futuros.

A nova realidade de Eduarda Brasil fica dividida entre a cidade de 60 mil habitantes e as grandes capitais. Na semana passada, ela voltou ao Rio de Janeiro para participar do festival TIM Music, onde dividiu o palco com a dupla sertaneja Matheus & Kauan. “Sempre acompanhei o trabalho deles, sou muito fã. Foi tudo de última hora. A gente acabou se conhecendo e eles me chamaram para cantar. Uma oportunidade única”, conta sobre a experiência.

Cautela com dinheiro

Mesmo depois que terminar a escola, no final deste ano, a cantora não tem planos de deixar a Paraíba. “Quero ficar aqui, não quero sair. Eu não consigo pensar só em mim. Tem minha família, meus amigos, e daqui eu também consigo tocar meu trabalho”, explica Eduarda, que já morou na zona rural, em São José de Piranhas.

“No momento estou em Cajazeiras, que é cidade. Tudo é mais fácil na cidade. No sítio tem a questão da distância. Estou me dedicando bastante, muito focada, me doando de corpo e alma para o meu trabalho e para os meus projetos.”

A ligação com o sertão da Paraíba é realmente especial para a jovem artista. No mesmo dia da sua vitória no “The Voice Kids”, choveu em São José de Piranhas, o que não acontecia havia sete anos. “Acredito que tenha sido algo especial. Eu nem sabia, fiquei sabendo depois quando já estava voltando pra casa. Eu sou muito católica e acho que Deus tem muitos propósitos na nossa vida. E acabou sendo duas vitórias pra gente”, diz orgulhosa.

O sucesso pode até ter deixado Eduarda Brasil e sua cidade mais conhecidas, mas não subiu à cabeça. A menina de 16 anos fala com maturidade sobre o prêmio de R$ 250 mil que ganhou, além do contrato com a gravadora Universal. “Por enquanto não fiz nenhum tipo de investimento, deixei guardado. Tem que ter cautela para não agir por impulso.”

Recado para Simaria

A campeã do “The Voice Kids”, Eduarda Brasil, entre suas técnicas Simone e SimariaImagem: Raphael Dias/TV Globo

Enquanto Eduarda Brasil comemora uma nova fase em sua carreira, uma de suas técnicas, Simaria, enfrenta um momento difícil. A cantora foi diagnosticada com tuberculose poucos dias depois da final do “The Voice Kids” e está afastada dos palcos desde então, cuidando da saúde.

“Eu sempre pedi a Deus por ela, pela saúde dela. É uma pessoa maravilhosa. Quem viu no programa sabe que ela é realmente aquilo que transpareceu. Eu só peço que Deus abençoe a vida dela, que dê a saúde que ela precisa. E que ela se cuide cada vez mais, principalmente agora”, deseja a pupila, que mantém contato com as técnicas pelo Instagram.

Dos amigos que fez no reality, ela lembra com carinho da pequena Mariah Yohana com quem disputou a final. “Mariah foi uma das pessoas que mais me tornei amiga, não só dela como de toda a família. Mas tento manter contato com todo mundo.”

Eduarda ainda comenta a polêmica em torno das idades dos competidores que rolou nas redes sociais na época. Mariah entrou para o “The Voice Kids” no limite mínimo de idade, 9 anos. Enquanto ela disputou com o limite máximo, de 15 anos.

“Se fosse uma coisa errada, a própria produção não permitiria já que é um programa que vem de fora, um formato internacional. Tem criança de 9 anos que tem potencial vocal que uma de 15 não tem”, conclui.

UOL

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here