R. Caio é expulso, mas Tricolor joga bem e fica no 0 a 0 com o Rosario

0
80

O São Paulo pode não ter feito um jogo brilhante, mas mostrou novamente que seus rivais não terão vida fácil para vencê-lo nesta temporada. Nesta quinta-feira, o time do técnico Diego Aguirre teve de jogar metade da partida com um homem a menos por conta da expulsão de Rodrigo Caio, contudo, mesmo em desvantagem numérica, conseguiu sair de campo com o empate em 0 a 0 contra o Rosario Central, no Gigante de Arroyito, em Rosario, na Argentina, pelo jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana.

Diferente das últimas partidas, o São Paulo entrou em campo com três zagueiros nesta quinta-feira, porém, os planos do técnico Diego Aguirre tiveram de ser rapidamente alterados por conta da lesão de Reinaldo. Sem nenhum outro lateral-esquerdo como opção, Liziero teve de ser deslocado, e Lucas Fernandes acabou entrando no lugar do camisa 14.

A situação piorou com a expulsão de Rodrigo Caio no fim do primeiro tempo, fato que forçou o Tricolor a recorrer para a linha de quatro jogadores na defesa. Apenas na reta final, aos 36 minutos, o São Paulo voltou a ter igualdade numérica com o cartão vermelho dado a Carrizo por entrada dura em Militão.

Com o empate sem gols, o São Paulo se coloca em boa posição para o jogo de volta da primeira fase da Sul-Americana, marcado para o próximo dia 9 de maio, no estádio do Morumbi. Uma vitória simples garante o Tricolor vivo na disputa pelo bicampeonato do torneio em que é o clube que mais o disputou (11 vezes).

O jogo – O São Paulo entrou em campo nesta quinta-feira com uma nova ideia de jogo e esperançoso em deixar para trás os tropeços recentes no Paulistão e na Copa do Brasil. Contudo, logo aos 15 minutos de partida, Reinaldo sentiu e teve de ser substituído por Lucas Fernandes, já que não havia nenhum outro lateral-esquerdo à disposição no banco de reservas.

Contando com a grande pressão de sua torcida no Gigante de Arroyito, o Rosario Central foi quem ameaçou mais no início do jogo, contudo, pecava nas conclusões. Aos 6 minutos, porém, o time da casa por pouco não abriu o placar em forte chute de Lovera, em cobrança de falta, mas o goleiro Sidão estava ligado para fazer boa defesa. Dois minutos depois foi a vez de o Tricolor responder com Nenê, que ficou com a bola dentro da área e finalizou rasteiro, cruzado, forçando ótima intervenção de Ledesma.

Se já era difícil conquistar um bom resultado com todos os 11 jogadores em campo, o São Paulo viu sua situação piorar aos 35 minutos, quando Rodrigo Caio subiu para disputar a bola com Marco Rubén e acabou atingindo o rosto do adversário com o braço. Demasiadamente rigoroso, o árbitro Victor Carrillo optou por expulsar o zagueiro tricolor, gerando indignação de todo o time, incluindo o banco de reservas – o preparador físico Fernando Pignatares também teve de se retirar por reclamação.

Sem seu pilar na defesa, os comandados de Diego Aguirre foram forçados a mudar o esquema tático nos últimos dez minutos da etapa inicial, abandonando o 3-5-2. Éder Militão assumiu o lugar de Rodrigo Caio, e Régis teve de ser recuado para a lateral-direita, adotando uma postura mais defensiva.

Apesar da desvantagem numérica, o São Paulo iniciou o segundo tempo de maneira ousada. Marcando presença no ataque e tentando manter a bola longe de sua área, os visitantes quase surpreenderam o Rosario Central aos cinco minutos, quando Nenê recebeu a bola após a cobrança de lateral de Régis e girou batendo, mandando rente à trave esquerda do goleiro Ledesma. Já aos 12 minutos foi a vez de Liziero receber com folga na entrada da área e soltar a bomba, mas a bola acabou saindo pouco acima do travessão. Faltava aos tricolores calibrarem um pouco mais seus arremates.

O Rosario Central só chegou com perigo na etapa complementar pela primeira vez aos 15 minutos. Em cruzamento de Gomez pela direita, Marco Rubén se antecipou e cabeçou firme, exigindo defesa em dois tempos de Sidão. Pouco depois, no entanto, o São Paulo levou ainda mais perigo novamente com Nenê, que chutou no ângulo esquerdo do goleiro rival e explodiu o travessão.

Aos 26 minutos, o maior susto do São Paulo: Sidão saiu para pegar a bola e foi tocado no ar pelo atacante Zampedri. A bola sobrou para Marco Rubén, que completou para o gol, entretanto, o árbitro Victor Carrillo marcou falta no goleiro tricolor. Na reta final, Carrizo, do Rosario Central, acabou recebendo o segundo cartão amarelo por forte entrada em Militão e recolocou o Tricolor em igualdade numérica. O time de Aguirre, no entanto, não conseguiu marcar o tão sonhado gol fora de casa e teve de conter a pressão dos anfitriões nos minutos derradeiros para garantir o empate sem gols contra os Canallas.

FICHA TÉCNICA

ROSARIO CENTRAL (ARG) 0 X 0 SÃO PAULO

Local: estádio Gigante de Arroyito, em Rosário (Argentina)

Data: 12 de abril de 2018, quinta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Victor Carrillo (PER)

Assistentes: Michael Orué (PER) e Stephen Atoche (PER)

Cartões amarelos: Régis (São Paulo); Parot, González, Carrizo e Marco Rubén (Rosario Central)

Cartão vermelho: Rodrigo Caio (São Paulo); Carrizo (Rosario Central)

Rosario Central: Ledesma; Gomez, Tobio, Cabezas e Parot; Lovera (Pereyra), Lopez, González (Fernández) e Carrizo; Zampedri e Marco Rubén (Herrera).

Técnico: Leonardo Fernández

São Paulo: Sidão; Militão, Rodigo Caio e Arboleda; Régis (Bruno Alves), Jucilei, Petros, Liziero e Reinaldo (Lucas Fernandes); Nenê e Tréllez (Valdívia).

Técnico: Diego Aguirre

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here