Suspeito de matar namorada de 15 anos é achado morto

315

Suspeito de matar a namorada de 15 anos com um tiro na cabeça, o adolescente Danilo Moreira Pimenta, de 17, foi encontrado morto na manhã deste domingo (11) próximo à Rodovia Alexandre Balbo (Anel Viário Norte) em Ribeirão Preto (SP).

Segundo a Polícia Civil, um ciclista se deparou com urubus próximos a um matagal e, ao se aproximar, encontrou o corpo do jovem parcialmente enterrado, com ferimentos no abdômen e no pescoço, supostamente provocados por faca.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e, de acordo com a polícia, foi reconhecido por familiares de Pimenta no início da tarde. O IML informou que o exame de necropsia apontará quando e de que forma ocorreu a morte.

Pimenta era o principal suspeito de matar a estudante Khadija Aziani das Dores. O corpo dela foi encontrado na casa onde os dois moravam no bairro Ipiranga, no último domingo (4). Vizinhos ouviram o barulho de um disparo e acionaram a Polícia Militar.

A PM chegou ao local, na Travessa Anhanguera, por volta de 22h e encontrou Khadija morta com um tiro na boca. O namorado dela e a arma não foram encontrados. O caso era investigado pela Delegacia da Infância e Juventude (Diju).

Namoro conturbado

Ao G1, a irmã de Khadija contou que o casal morava junto há seis meses, mas o relacionamento teve início há um ano e oito meses. O namoro, no entanto, era conturbado e marcado por brigas, incluindo agressões físicas e separações recorrentes.

A jovem de 21 anos, que pediu para não ser identificada, contou que Khadija se separou de Pimenta pela última vez em dezembro de 2017. A adolescente voltou a morar com a mãe e depois se mudou para a casa de algumas amigas.

Mas, semanas antes de ser encontrada morta, uma foto postada no perfil de Khadija em uma rede social levou a família a suspeitar que os dois haviam reatado o namoro.

Investigação

Na sexta-feira (9), o delegado Sérgio Pereira afirmou que investigava o caso junto com a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e o departamento de homicídios da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Pereira disse que os familiares de Khadija e de Pimenta seriam chamados a depor, mas parentes do jovem já haviam relatado, informalmente, que ele tinha entrado em contato, dizendo que a namorada se suicidou e que estava foragido porque sofreu ameaças.

G1